REGULAMENTO COPA CANTAREIRA DE ENDURO FIM
..............................................................................................................
Art. 01- APRESENTAÇÃO REGULAMENTO COMPOSTO POR 37 ARTIGOS / ATUALIZAÇÃO EM 06/08/2012
Tem - 1 Este regulamento entrará em vigor a partir do momento de sua publicação no site WAY POINT ENDUROS 
Item - 2 O presente Regulamento é válido para a copa WPE 2012 , e para o CAMPEONATO PAULISTA.
Item - 3 Os casos não previstos neste Regulamento, seguem as mesmas normas do regulamento da Confederação Brasileira de Motociclismo, e quando não previstos também pela mesma, deverão ser apreciados pelo (JURI) comissão de apuração.
Art. 02- ORGANIZAÇÃO DA COMPETIÇÃO
Item  1- A partir da primeira etapa em  26 de FEVEREIRO de 2012 o campeonato será composto por 6 provas DUPLAS ( valerá 2 etapas , sendo uma até o neutro principal e a outra do neutro até o final da prova)
Item 2 - O resultado final do Campeonato de ENDURO será composto pela soma de todas as etapas, descontando-se duas, independentemente de o piloto ter ou não participado da mesma (N-l). OBS: COPA COMPOSTA POR 6 PROVAS DESCARTA-SE UMA PROVA, EQUIVALENTE A DUAS ETAPAS.
Item  3 -  A Copa WPE 2012 será realizado em locais a serem determinados pelo organizador.
Item  4 - Se por qualquer motivo de força maior ou de segurança a corrida não puder ser realizada, os organizadores não serão responsáveis perante os participantes, nem serão obrigados a nenhum tipo de indenização.
Item -  5   A Cronometragem será efetuada por equipe especializada e homologada TOTEM
Art. 03- JÚRI
Item 1- O Júri será constituído por três pilotos , de categorias distintas escolhidos pela organização.
Item 2 -A autoridade julgadora em primeira instância é o Júri.
Item 3 -Os membros do Júri deverão estar localizados junto a Cronometragem e somente poderão abandonar o local, após a divulgação dos resultados oficiais.
Item 4 -O Júri só aceitará recursos quando entregues ao Diretor de Prova.

Art. 04 - INSCRIÇÕES
Item 1 - O organizador do Campeonato deverá manter no dia da prova, um local adequado
Para montagem de secretaria, com recinto fechado para execução da apuração e montado para receber as inscrições de seus pilotos.
Item 2 - Será cobrada uma taxa do piloto no ato da sua inscrição de valor indicado no regulamento da prova.
Item 3 - A secretaria de prova poderá recusar inscrição de um piloto desde que apresente os motivos
por escrito e assinado por um membro da organização e apreciado pelo presidente do Júri, se este solicitar.
Item 4- Para se inscrever na prova o piloto devera acessar o site da organizadora e se cadastrar para etapa.
a) Só serão aceitas inscrições de maiores de 18 anos, devidamente habilitados para pilotar motocicletas caso a prova aconteça em vias publicas;
b) Ao assinar a ficha de inscrição o participante reconhece e aceita automaticamente as exigências da entidade organizadora e dos regulamentos.
d) Aceita usar o jaleco fornecido pela organização, bem como os adesivos numerados com o patrocínio do evento.
Os inscritos autorizam o uso de sua imagem impressa, cinética e eletrônica durante e até dois anos após o evento para fins comerciais, editoriais, promocionais e publicitários. Em todo o período da competição e em eventos oficiais, inclusive os programados pela assessoria de imprensa, o piloto usará obrigatoriamente todos os componentes de identificação fornecidos pelos patrocinadores do evento.

Art. 05- DEVERES DO PILOTO
Item 1- Todo piloto é obrigado a usar o equipamento completo de segurança composto de: Calça do tipo Cross, joelheiras, capacete homologado com fator RH e tipo sangüíneo inscritos, camisas de mangas compridas, óculos especiais, luvas e botas de cano longo.
Item 2- Todo piloto deverá conhecer e respeitar os horários de treinos e provas através do adendo e regulamento fornecidos no ato da inscrição.
Item 3- É dever de todo piloto e membros de sua equipe respeitar as disposições constantes do Código Brasileiro de Motociclismo, assim como reconhecer o presente regulamento.
Item 4-  É dever de todo piloto dar passagem aos concorrentes que estiverem em condições de fazelo e manter o mais alto espírito esportivo para com seus adversários antes, durante e depois da prova.
Item 5 Atos, gestos e atitudes de menosprezo são motivos de desclassificação imediata da prova, bem como passível eliminação do Campeonato. Casos de indisciplina e desrespeito para com as autoridades da prova, causará desclassificação imediata, bem como a eliminação do piloto infrator do Campeonato .
Item 6 Consideram-se autoridades em serviço, os representantes da WAY POINT ENDUROS tais como  o organizador, integrantes da equipe de sinalização, equipe de Cronometragem, seguranças e integrantes da secretaria da prova.
Item 7 É dever do piloto, reportar à organização, qualquer irregularidade que fira este regulamento, bem como exigir, caso seja necessário, às autoridades constituídas da prova, o cumprimento deste.
Item 8 É dever de todo piloto , quando participar de provas que circulem em vias públicas, portar seus documentos de identificação, bem como habilitação e documentação exigida por lei , respondendo às autoridades locais por seus atos e atitudes, não cabendo em nenhuma hipótese responsabilidade aos organizadores ou entidades envolvidas na prova.

Art. 06 - PARTICIPAÇÃO
Item 1   Liberada  a qualquer piloto federado ou não .
Art. 07 - CATEGORIAS
Item 1-  Uma categoria se considerará constituída com o mínimo de 6 pilotos inscritos. Caso não se constitua, os pilotos inscritos serão agregados a uma categoria imediatamente superior a critério do diretor de prova, podendo essa categoria ser excluída do campeonato.
Item 2- Formada nova categoria novatos (NB novatos de base), os competidores inscritos nessa categoria terão valor da inscrição reduzida em 50% e também utilizarão  GPS RASTRO TOTEM. O roteiro dessa categoria será diferenciado dos demais, com medias reduzidas, trajetos mais curtos e com menos dificuldades. Nessa categoria não poderão ser utilizados equipamentos de navegação que permita programação dos trechos da planilha. Serão permitidos somente hodometros mecânicos e ou digitais sem programação  EX: track Totem, Mini Compass, Catai e Ico. A premiação, troféus será elevada a décima colocação. 
Categoria Especificação 
(M) Máster piloto ranqueado
(S) Sênior piloto ranqueado
(O) Over 40 piloto ranqueado com 40 anos ou mais ( PERMITIDO  TAMBÉM A PILOTOS QUE COMPLETEM 40 ANOS EM 2012 MEDIANTE APESENTAÇÃO DE DOCUMENTO DE IDENTIDADE )
(J ) Júnior piloto ranqueado
(N) Novato piloto com equipamentos de navegação
(NB) Novato base sem equipamento de navegação

Item -3 DOS TROFÉUS, nas categorias MASTER, SENIOR, JUNIOR e OVER a premiação será até a 3º colocação, podendo ser ampliado conforme o numero de pilotos efetivos no campeonato, nas categorias NOVATO e NOVATO B, a premiação será até a 5ª colocação, podendo ser ampliado conforme o numero de pilotos efetivos no campeonato

Anexo -1 DAS DUPLAS (  CASO SEJA FORMADA A CATEGORIA)
Item 1- Na categoria Dupla, cada integrante será inscrito com números distintos, seqüenciais.
Item 2- Os pilotos largarão após a categoria Novato e terão o mesmo tempo ideal .
Item 3- A pontuação da dupla será o melhor tempo de passagem apurado entre os integrantes, será descartado o pior                   tempo de passagem nos PCs, o piloto que obtiver melhor pontuação será validado como pontuação da dupla.
Item 4- A tolerância de tempo nos PCs será a mesma das outras categorias, tanto para adiantado ou atrasados.
Item 6- A dupla devera obrigatoriamente ter registrada a passagem em todos os PCs, serão cancelados os PCs em que somente um dos componentes efetuarem a passagem.
Item 7- Haverá uma tolerância de 120 segundos (DOIS MINUTOS) entre os integrantes, o que após, será considerado PC perdido.
Item 8- A dupla poderá durante o campeonato, utilizar-se de um piloto reserva, nos casos em que um dos membros esteja impossibilitado de participar da etapa, não excedendo o numero Maximo de três substituições.

Art. 08- RESPONSABILIDADE CIVIL E PENAL
Item 1 Ao assinarem a ficha de inscrição os pilotos eximem a Federação Paulista de Motociclismo, o clube organizador, patrocinadores e autoridades da prova, de toda e qualquer responsabilidade por dano de qualquer espécie que venha a sofrer ou causar a terceiros, durante ou depois do decorrer da prova e dos treinos.
Art. 09- PROVA
Item 1 - As provas serão realizadas em pistas ou trilhas
Item 2 - Em caso de mudança de horário por força maior ou motivos técnicos, o organizador deve comunicar
Imediatamente pelos meios disponíveis a todos os representantes de clubes, bem como chefes de equipes e pilotos, os novos horários.
Item 3-  O Diretor de Prova tem o direito de eliminar da competição com parecer do Diretor Técnico, a motocicleta que não corresponder às normas de segurança ou regulamento, e depois comunicar ao júri.

Art. 10- INTERRUPÇÃO DE UMA PROVA
Item 1 -  O Diretor de Prova tem o direito por iniciativa própria e para medidas urgentes de segurança, ou outros casos de força maior, de interromper uma prova ou de cancelar a mesma.
Item 2  -  A critério do Júri, uma prova interrompida com menos de 50% de seu tempo, poderá valer ou não para
Pontuação, e poderá ter a validade de pontos cortada ao meio.

Art. 11 - CONDIÇÕES FÍSICAS DO PILOTO
Item - 1 A Federação Paulista de Motociclismo e o organizador poderão pedir para os pilotos um Exame antidoping, antes, durante e após a prova. O piloto que negar-se ao exame será desclassificado e denunciado ao Tribunal de Justiça Desportiva da Federação Paulista de Motociclismo.
Item - 2 Todo piloto é obrigado a apresentar exame médico atestando sua capacidade para atividades esportivas de alto desempenho.

Art. 12- ALTERAÇÕES NO REGULAMENTO
Item 1 - A ORGANIZADORA WPE, pelos poderes que exerce pode alterar modificar, incluir ou excluir itens deste regulamento                                                                                                                                                 
Art. 13- CASOS OMISSOS
Os casos omissos no regulamento serão resolvidos pela Comissão Técnica da prova e julgados pelo júri, ou na
Impossibilidade destes, pela Federação Paulista de Motociclismo.

Art.14 REGULAMENTO COMPLEMENTAR
Item- 1 Compete, aos organizadores elaborar um regulamento complementar específico para cada etapa.
Item-2 Neste regulamento deverá constar, obrigatoriamente, as características da prova, horários de largada, vistoria, chegada além de outras informações específicas e necessárias aos participantes.
Item- 3 Deverá ainda constar no regulamento nome e funções dos organizadores da prova, bem como os nomes dos integrantes do júri do qual obrigatoriamente farão parte um representante do Clube organizador e mais três pilotos, ligadas à modalidade.

Art.15- INSCRIÇÕES
Item 1 - Ao assinar a ficha de inscrição, o participante reconhece e aceita automaticamente as exigências da ENTIDADE Organizadora e dos regulamentos;
Item 2 - Aceito usar o jaleco fornecido pela organização, bem como os adesivos numerados com o patrocínio do evento.
Item 3 - Os inscritos autorizam o uso de sua imagem, durante e até dois anos após o evento para fins comerciais, editoriais, promocionais e publicitários.
Item 4 - As inscrições deverão ser efetivadas até sexta feira que antecede à data da competição, já Que todas as etapas do calendário serão aos domingos.
Item 5 - As inscrições serão feitas pela internet no site www.waypointenduros.com.br com data/hora de abertura e encerramento.
Item 6 - O número máximo de participantes em cada etapa será considerado pela equipe Way Point de acordo com as condições do percurso ou por qualquer outra causa.
Item 7 - Pagamento da inscrição para efeito de logística, será feito antecipadamente, mediante deposito bancário em conta indicada pela organizadora até a data máxima informada no site WPE, as inscrições feitas no dia da competição sofrerão acréscimo de R$ 10,00 (DEZ REAIS) sobre o valor atual de R$ 120,00, ou seja, o valor a ser cobrado no dia será de R$ 130,00.
Item 8 - A entrega de material da prova aos pilotos como, numeral, planilha e regulamento complementar serão entregue no domingo da prova ou outro local a ser determinado pela organização, não antes, sem exceção.

Item 9 - Pilotos de outros Estados podem participar de provas de ENDURO no Estado de São Paulo apresentando uma carta de sua Federação de origem informando a categoria em que o piloto corre.

Art.16 - VISTORIA
Item. 1- O piloto deve apresentar-se com sua motocicleta no local da largada no horário previsto no regulamento complementar, onde será encaminhado para a área de vistoria (parque fechado), com motores desligados. A vistoria será executada pelo Clube Organizador, obedecendo:
a) para os pilotos serão obrigatórios os seguintes itens de segurança: capacete, óculos ou viseiras, luvas, botas e roupas resistentes;
b) no capacete deve ter inscrito o nome, tipo sangüíneo e o fator RH do piloto;
Item. 2- Poderá haver, ao longo do percurso, postos de vistoria, sendo necessária apresentação de documentação de porte obrigatório.
Item. 3- Fica a critério do vistoriador não permitir a largada, ou continuação de uma moto, caso entenda que a mesma, ou o piloto não apresentem condições mínimas de segurança.
Item. 4- Poderá haver PC de tempo na vistoria.
Item. 5- A prova só termina após o PC chegada.

Art. 17- IDENTIFICAÇÃO DO PILOTO
Item 1 - A identificação do piloto será feita através de um jaleco ou similar.

Art. 18- IDENTIFICAÇÃO DA MOTO
Item 1 - A identificação da moto será feita por numeração frontal na carenagem, fornecida pela WPE, sendo seu uso obrigatório.
Item 2 -  Coletes quando fornecidos, estes serão de uso obrigatório.
Art. 19 - CONSTITUIÇÃO DA PROVA
Item 1 A prova deve ser constituída de trechos neutralizados, trechos de deslocamento e trechos de regularidade. Poderá ainda haver testes especiais (de velocidade, "non stop",
etc.).
Item 2 - Neutralizado são pontos para descanso, reparos mecânicos, abastecimento, ou ainda,pernoites (no caso de provas com mais de um dia de duração).
Item 3 - Trecho deslocamento é um trecho para o qual é dado um tempo para percorrê-lo.
Item 4  -Trecho de regularidade é o trecho em que é definida a média horária e no qual cumpre ao piloto manter-se com a melhor precisão possível na média pré-estabelecida.
Item 5 - Testes especiais: havendo, deverá ser definido com detalhes no regulamento complementar.
Item 6 - A prova só termina após o PC de chegada.

Art. 20 - PARQUE FECHADO (PF)
Item 1 - O PF deverá estar cercado e fechado para impedir a entrada de pessoas não autorizadas, a entrada e saída deverão estar bem sinalizadas. Os fiscais encarregados pelo PF deverão estar bem identificados.
Item 2 - É proibida a entrada no PF. Somente os organizadores e os fiscais encarregados estão autorizados a entrar. Os pilotos poderão ingressar no PF para colocar ou retirar sua motocicleta.
Item 3 - O piloto deve apresentar-se com sua motocicleta no local da largada no horário previsto no regulamento complementar, onde será encaminhado para a área de vistoria (parque fechado), com motores desligados. A vistoria será executada pelos Organizadores, obedecendo:
(a)para os pilotos serão obrigatórios os seguintes itens de segurança: capacete, óculos ou viseiras, luvas, botas e roupas resistentes.
(b) no capacete deve ter inscrito o tipo sanguíneo e o fator RH do piloto.
(c) o vistoriador exigirá a apresentação da carteira de piloto emitida pela FPM, os itens de segurança obrigatórios e outras exigências previstas no regulamento complementar da prova.
Item 4 - Fica a critério do vistoriador não permitir a largada, ou continuação de uma moto, caso entenda que a mesma, ou o piloto não apresente(m) condições mínimas de segurança.
Item 5 - Poderá haver PC de tempo na vistoria.
Alínea A - ÁREA DE LARGADA (AL)
Item 1 - É a área entre o Parque Fechado e a linha de largada, onde não é permitido nenhum tipo de trabalho na moto nem ligá-la até que se dê o sinal de Largada. a penalização para esta infração é de 60 pontos, na AL só será permitida a permanência de pilotos e de fiscais encarregados pelas operações de largada.

Art. 21 - ORDEM DE LARGADA
Item 1 - A ordem de largada em cada prova será definida da seguinte forma:
a - Máster: será realizado sorteio e largam primeiro, seguidos pelas categorias senior, over, junior, novatos e novatos B
b - Sênior, Over 40 anos acima, junior , Novato e Dupla, largará de acordo com a ordem de inscrição.
Item 2 - Os pilotos e motos serão numerados seqüencialmente em relação a sua ordem de largada.
Item 3 - O intervalo entre um piloto e o seguinte deve ser de tal modo a se evitar congestionamento, por outro lado deve-se evitar também que a diferença entre o primeiro e o ultimo piloto a largar seja muito grande. A Way Point utilizará o intervalo de 1 minuto PARA TODAS categorias.

Art.22 - INTERVALO DE LARGADA
Item 1 - Poderá haver um intervalo na largada entre o ultimo Júnior e o primeiro Novato para minimizar os congestionamentos.
Item 2 - Nas provas da copa, os trechos de alto índice de dificuldades deverão ser deslocamento ou desvio para a categoria Novata e Dupla. Se por falta de condição técnica deverá haver um neutralizado após o obstáculo para acerto de tempos, pelo menos para estas categorias
Item 4 - PERCURSO
(A) Estradas pavimentadas, trilhas ou estradas abandonadas, prevalecendo nas vias publicas as leis de trânsito locais.
(B) É obrigatório que haja pelo menos um piloto para abrir trilhas (piloto 00), e o outro para fechá-la após a prova.

Art. 23- PLANILHAS DE PROVAS
Item 1 - Serão fornecidas aos participantes na entrega dos materiais de prova, as planilhas indicativas do roteiro, das medidas horárias e dos tempos para percorrer cada etapa integrante deste regulamento.
Item 2 - A planilha poderá ser entregue por etapa.
Item 3 - As planilhas deverão ser entregues em blocos de 6,0 a 6,5 cm. (bobinas térmicas padrão TOTEM)
Item 4 - A simbologia da planilha devera ser simples e clara, procurando mostrar apenas o necessário a identificação do roteiro. Exemplos de símbolos já padronizados
Piloto Trajeto Direção Estr. Asfalto Estr. Terra Trilha
Item 5 - No símbolo usado a "bolinha" (que indica o local onde o concorrente está) deverá estar
Sempre na posição inferior do diagrama. O sentido será sempre de baixo para cima.
Item 6 - Os ângulos da simbologia deverão apresentar com a melhor fidelidade possível os reais
Ângulos de curvas, encruzilhadas e bifurcações.
Item 7 - Na coluna central superior deverá constar as observações chamando a atenção para locais perigosos (cavas, barranco, erosões, etc.) e quaisquer informações quando puderem surgir duvidas ao caminho a seguir, por exemplo: quando a prova atravessar plantações, pastos, etc.

Art.24 - INDICAÇÕES QUILOMÉTRICAS
Item 1 - As medidas serão sempre em Km, com subdivisão no mínimo de 10 metros, e máximo de 50 metros.
Aconselham-se medidas de 10 em 10 metros. Pôr exemplo: 2,00 / 2,23 / 2,87...
Item 2 - Medidas inferiores ao padrão será indicado no texto (coluna de observações).
Item 3 - A não ser quando expressa em contrário, a medição quilométrica refere-se a um ponto da respectiva referência (encruzilhada, por exemplo).
Item 4 - O primeiro trecho deverá ser obrigatoriamente um deslocamento para aferição. Não poderá haver PC neste
Trecho.
Art.25-VELOCIDADE
Item 1 - Nas provas a velocidade será dada em Km/h (Quilômetros Horários) e representada por números inteiros múltiplos de 3 (três). Por exemplo: 12 km/h.
Item 2 - Deverá haver duas velocidades de média horária no mínimo, procurando distinguir as categorias.
Item 3 - A média a ser usada será decidida pelo júri da prova por ocasião da largada e deverá ser mantida até o termino da prova, poderá ser adotada outra média diferente da largada em provas com duração de mais de 1 dia, Para tanto o júri deverá na largada dos dias subseqüentes determinar a média a ser utilizada, que por sua vez, será mantida até o fim de cada dia.
Art.26 - CRONOMETRAGEM DE CONTROLE
Item 1 - A Cronometragem será feita com base num tempo padrão (hora oficial) fornecido pelo Organizador da Prova.
Item 2 - Existe uma tolerância de 5 segundos de atraso em cada PC para todas as categorias. O primeiro ponto perdido será logo após a tolerância.
Item 3 - Não haverá tolerância para adiantado. O piloto perderá 3 pontos por segundo adiantado
Item 4 - Os PC' s serão secretos e colocados em pontos aleatórios.
Item 5 - Os PC' s poderão ser de roteiro, tempo, misto ou de vistoria.
Item 6 - O PC de roteiro visa apenas confirmar a passagem do piloto. Esse PC valerá 900 pontos, ou seja: se o piloto não passar, chegar por caminho errado, passar com um atraso superior a 20 minutos ou com um adiantamento superior a 5 minutos, o piloto perde 900 pontos. Quando o PC do roteiro estiver localizado em trecho de deslocamento, o tempo ideal do piloto devera ser de 5 minutos antes do seu tempo ideal de entrada, até 20 minutos depois do tempo ideal de saída do referido trecho. O piloto passando dentro desse tempo de tolerância zera o PC.
Item 7 - O PC misto (tempo e roteiro) visa medir a navegação e confirmar o caminho e o sentido correto da prova. O piloto perdera um ponto pôr segundo de atraso até o limite de 15 minutos, após o que perdera fixo 900 pontos até 20 minutos de atraso, após esse perderá fixos 1800 pontos. Perderá 3 (três) pontos pôr segundo de adiantamento, até um limite de 5 minutos, acima de 5min1s a punição será de 1800 pontos direto. Chegando no PC por caminho errado, e no sentido correto da prova, o piloto perdera 900 pontos, mais os pontos referentes ao tempo. No Caso do piloto não passar no PC, ele perdera 1800 pontos.
Item 8 - No PC de vistoria, o piloto perde 1 (um) ponto por segundo, sem considerar a tolerância , e não perde pontos por adiantamento.
Item 9 - Toda prova poderá ter PC de chegada, que poderá ser PC de roteiro, misto ou de vistoria, este PC visa facilitar o controle no caso de pilotos perdidos ou desistências no decorrer da prova.
Item 10 - A organizadora deverá colocar a disposição dos pilotos a listagem de tempos reais de passagem para a devida conferência.
Item 11 - Não haverá o descarte do pior PC.
Parágrafo único: a apuração, a cronometragem e os PCs são responsabilidades da Organização, podendo ela, optar pela melhor escolha, independente de aviso prévio.

Art.27 - PENALIZAÇÕES
Item 1 - O piloto poderá ser penalizado pelas seguintes faltas, anotadas pelos ficais, membros do júri e julgados :
a) informações falsas ou erradas na ficha de inscrição (como categoria errada): desclassificação.
b) pilotar sem capacete durante a prova, inclusive nos neutralizados: desclassificação. (antes da largada oficial, a responsabilidade é inteiramente do piloto).
c) manobras desleais contra outro concorrente: desclassificação.
d) troca de moto ou piloto (mesmo sendo pessoa da equipe), numa mesma etapa: desclassificação.
e) alteração, supressão ou inclusão de inscrição nos adesivos oficiais: desclassificação.
f) falta de itens de segurança do piloto previstos no artigo 4 Item 1 a,: desclassificação
g) desrespeito as leis de transito: desclassificação
h) pilotagem perigosa, excesso de velocidade e acrobacias em localidades habitadas: 300 pontos a desclassificação
i) não respeitar fila de chegada nos PC' s: 300 pontos
j) tumultuar o trabalho do fiscal no PC com reclamações e pedidos insistentes: 300 pontos
k) parar no campo de visão do PC a qualquer pretexto apoiando-se, quer seja, com os pés ou de qualquer outra forma: o Piloto será imediatamente anotado pelo PC.
l) o piloto poderá ser penalizado de acordo coma decisão do júri por comportamento indevido seu ou de sua equipe: 300 pontos a desclassificação
m) motor ligado na área de vistoria: 900 pontos
n) ruído excessivo no escapamento: 900 pontos
o) qualquer piloto, que durante o transcorrer da prova quiser se ausentar da mesma e abandonar o percurso, deverá comunicar sua retirada ao posto de controle mais próximo ou na chegada da prova, para que os organizadores não o dêem por perdido. O não cumprimento desta regra acarretará em penalidade: 900 pontos
Cabe ao diretor de prova, julgar se aceita ou não qualquer denúncia levada ao seu conhecimento, contra competidores ou motocicletas, após o término da apuração, no prazo máximo de até 7 dias corridos da etapa.
Estas denúncias deverão estar fundamentadas com base em provas contundentes e plausíveis, constituídas ou apontadas, podendo o diretor de prova decidir pela penalização do concorrente, sem direito a recurso.

Art.28- ALTERAÇÕES NO REGULAMENTO
Item 1 - A ORGANIZADORA WPE, pelos poderes que exerce pode alterar modificar, incluir ou excluir itens deste regulamento.
Art. 29- ALTERAÇÕES NO ROTEIRO
Item 1 - No caso de algum imprevisto (rio cheio, barreira, ou nova estrada, por exemplo), que impossibilite a passagem ou que provoque alguma alteração do roteiro corre pôr conta do piloto, procurar meios que o conduza o mais brevemente ao roteiro original, os seus tempos ideais permanecerão os mesmos, não cabendo reclamações nem tão pouco ajustes de tempo.
Art.30- ALTERAÇÕES NA PROVA
Item 1 - Em casos de mudanças de horários, por força maior ou motivos técnicos, a organização deve comunicar imediatamente, pelos meios disponíveis, a todos os representantes de outros clubes, bem como aos chefes de equipe e pilotos.
Item 2 - Se por qualquer motivo de forca maior ou de segurança a prova não puder ser realizada, os organizadores não serão obrigados a nenhum tipo de indenização, exceto o reembolso do valor da inscrição.

Item 3 - CANCELAMENTO DE TRECHOS E PCs
Em virtude de ocorrência de chuva, que venha prejudicar ou impossibilitar a passagem dos pilotos em qualquer trecho, elevando o grau de dificuldade e colocando assim em risco a integridade física dos mesmos , esse poderá ser cancelado pelo diretor de prova , mesmo que parte de uma categoria tenha obtido êxito em transpor esse trecho , não cabendo recurso aos demais pilotos dessa categoria
Art.31 - APOIO / AJUDA
Item 1 - Somente os pilotos identificados com adesivo da prova poderão ajudar-se mutuamente na transposição de obstáculos, membros da organização, identificados por jaleco ou adesivo, também poderão ajudar.

Art.32- DIVULGAÇÃO DO RESULTADO / PREMIAÇÃO / RECURSOS / TROFÉUS
Item 1 - O organizador devera ter um serviço de divulgação de resultados da prova para os pilotos.
a) os resultados deverão estar obrigatoriamente disponíveis na internet na semana em que for feita a premiação.
Item 2 - O regulamento complementar da prova deve indicar o local e à hora, prevista para a divulgação dos resultados.
Item 3 - Após 10 (dez) minutos da divulgação, será dado um prazo de mais 20 (vinte) minutos para a interposição de recursos sobre a colocação e não sobre o tempo digitado, após o qual será homologado o resultado, se o recurso imposto pelo piloto for INDEFERIDO, este poderá ser penalizado com perda de 900 pontos a critério do diretor de prova, caso haja insistência a penalização poderá ser de 1800 pontos.
Não será aceito qualquer tipo de reclamações após o término da apuração.
Item 4 - Só será aceito, reclamações escritas, e que contenham o nome, número de inscrição e categoria do piloto, para isso o piloto devera utilizar o verso de seu analítico.
Item 5 - O prazo para entrada de recurso quanto a eventuais erros de roteiro será de no máximo 30 minutos após o horário ideal de chegada do último piloto da prova
Item 6 - Deverá ser premiado, com troféus, por etapa, sendo que será limitado aos 3 primeiros das categorias Máster,Sênior, Junior,Over 40, e 5 para Novato A e B.
A premiação final do campeonato será dada aos três primeiros colocados de cada categoria.
Item 7- Prêmios em dinheiro são proibidos.
Alínea A - RECLAMAÇÕES EM GERAL
Item 1 - O direito de reclamação pertence ao piloto ou ao chefe de equipe que o encaminhará ao diretor de Prova, não necessitando de sua identificação perante o reclamado.
Item 2 - Reclamação contra um participante, um piloto, ou uma motocicleta inscrita deve ser apresentada ao Diretor da Prova até 30 (trinta minutos) após o horário ideal de chegada do último piloto.
Item 3 - Reclamações contra resultados devem ser apresentadas ao Diretor de prova dentro de 15 minutos após a apresentação dos resultados oficiais.
item 4 - É de responsabilidade do piloto conferir sua  planilha  e  programação de trechos no ato do seu recebimento, evitando-se competir com medias erradas, não cabendo reclamações por parte do piloto, caso isso ocorra não serão feitas mudanças de categorias nem tão pouco ajustes de tempos
Item 5-  É de responsabilidade do piloto manter-se no trajeto da prova.
Item 6 - No caso de algum imprevisto (rio cheio, barreira, ou nova estrada, por exemplo), que impossibilite a passagem ou que provoque alguma alteração do roteiro corre pôr conta do piloto, procurar meios que o conduza o mais brevemente ao roteiro original, os seus tempos ideais permanecerão os mesmos, não cabendo reclamações, nem tão pouco ajustes de tempo.
Item 7 - Fica terminantemente proibido, passível de punição, qualquer movimento, pressão ou manifestação dos pilotos na véspera, nos dias da competição e durante a apuração dos resultados finais.
.
Art.33 - INDICE NC / PONTUAÇÃO / PREMIAÇÃO / RESULTADO / DESCARTE N-I

INDICE NC DE 50%  PARA TODAS AS CATEGORIAS.
Item -1 Nas provas de ENDURO a obtenção de pontos  será dada sempre aos concorrentes que tenham perdido no máximo 50%  dos PCs validos da prova e se classificado até a 20ª posição. Para efeito de pontuação no campeonato, em todas as categorias, ficam a obrigatoriedade de passagem em 50% dos PCs validos na etapa, menos que 50%  fica caracterizado (NC) não completou, sendo assim não pontuara no campeonato.

Item - 2 O resultado da prova PARA EFEITO DE PREMIAÇÃO (TROFÉU), será a soma dos pontos ganhos das duas etapas, EX: Piloto Nº05 vence a primeira parte, marcando 25 pontos, fica em 3º na segunda parte marcando 20 pontos totalizando 45 pontos, porem o piloto Nº 10 fica em 3º na primeira parte marcando 20 pontos e vence a segunda parte marcando 25 pontos, também totalizando 45 pontos, empatando com o piloto Nº05, o critério de desempate será a menor quantidade de pontos perdidos somadas as duas etapas .
O descarte dos pontos será de duas etapas, não necessariamente das provas realizadas no mesmo dia e mês. EX: ETAPA 3ª e 4ª REALIZADA NO MESMO DIA, OU ETAPA 3ª e 11ª EM DIAS E MÊS DIFERENTE.
OBS ESSE CRITÉRIO SOMENTE SERÁ USADO NOS CASOS EM QUE AS PROVAS DO CAMPEONATO, SEJAM COMPOSTAS POR DUAS ETAPAS NO MESMO DIA EX: 1ª PARTE DE MANHA, 2 ª PARTE A TARDE.

Item 3 - O resultado final do Campeonato de ENDURO será composto pela soma de todas as etapas, descontando-se (2) DUAS etapas independentemente de o piloto ter ou não participado da mesma (N-l).
Desempates na etapa, em caso de empate nos pontos, decide-se primeiramente considerando o resultado do último PC da prova, caso persista, o penúltimo e assim por diante.
OBS: Para efetivar essa pontuação os pilotos inscritos terão uma tolerância de 20 minutos após seu tempo ideal para largar, após esse tempo, será considerado como desistente da competição, caracterizando NC.
Item - 8 Serão somados os pontos de todas as etapas que compõe o campeonato, descartando-se o pior resultado (N-1) mesmo que não haja participação, para compor o resultado final.
Item- 9 Em caso de empate nos pontos do campeonato decide-se primeiramente pelo descarte e depois pelos melhores resultados (mais 1º mais 2º).
Item - 10 A pontuação para efeito de graduação e campeonato será dada conforme tabela do Art. 34 item 4.
Se o empate persistir, será considerado o resultado da ultima prova. No caso de empates na etapa será considerado o resultado do ultimo PC da prova, caso persista, o penúltimo PC e assim por diante.

Art.34 -  PONTUAÇÃO FINAL NO CAMPEONATO
Item 1 - Em caso de empate será proclamado campeão o piloto que obtiver a maior colocação na última prova do campeonato.
Item 2 - Os pilotos desclassificados por quebra de regulamento não somarão pontos.
Item 3 - O resultado final do Campeonato de ENDURO será composto pela soma de todas as etapas, descontando-se DUAS, independentemente de o piloto ter ou não participado da mesma (N-l).

Item - 4 TABELA DE PONTUAÇÃO (FPM)
O Piloto receberá os seguintes pontos pela classificação:
1°-  lugar - 25 pontos                             11°-  lugar - 10 pontos
2°-  lugar - 22 pontos                             12°-  lugar - 09 pontos
3°-  lugar - 20 pontos                             13°-  lugar - 08 pontos          
4°-  lugar - 18 pontos                             14°-  lugar - 07 pontos  
5°-  lugar - 16 pontos                             15º-  lugar - 06 pontos
6°-  lugar - 15 pontos                             16º-  lugar - 05 pontos
7°-  lugar - 14 pontos                             17°-  lugar - 04 pontos
8° - lugar - 13 pontos                             18º-  lugar-  03 pontos
9° - lugar - 12 pontos                             19º-  lugar - 02 pontos
10°-lugar - 11 pontos                              20º- lugar -  01 ponto.
Art. 35- GRADUAÇÃO DE PILOTOS
Item 1 - Após a divulgação da lista dos pilotos ranqueados para o campeonato do ano seguinte, estes deverão                inscrever-se obrigatoriamente na categoria a qual foram designados
Item 2 - Critério para mudança de categoria:
(A) PILOTO DA CATEGORIA SENIOR, PARA OBTER GRADUAÇÃO PARA A CATEGORIA MASTER
             Só obterão graduação para a categoria Máster os pilotos da categoria SENIOR que ao final do campeonato fiquem entre os SETE (7) primeiros colocados independentemente da sua pontuação.
(B) PILOTO DA CATEGORIA JUNIOR, PARA OBTER GRADUAÇÃO PARA A CATEGORIA SENIOR
             Só obterão graduação para a categoria Máster os pilotos da categoria SENIOR que ao final do campeonato fiquem entre os SETE (7) primeiros colocados independentemente da sua pontuação.
C) PILOTO DA CATEGORIA NOVATO PARA OBTER GRADUAÇÃO PARA A CATEGORIA JÚNIOR
              Só obterão graduação para a categoria Júnior os pilotos da categoria Novatos que ao final do campeonato fiquem entre os SETE (7) primeiros colocados de sua categoria, independentemente da sua pontuação.
Item 2 - Os pilotos das categorias MASTER / SENIOR / JUNIOR e OVER com as TRES (3) piores colocações ao fim  do campeonato deverão obrigatoriamente MUDAR (descer) para As categorias imediatamente abaixo a sua.
Item 4 - O piloto Iniciando o campeonato em uma categoria e após mudar, desprezara todos os pontos conquistados
Até aquela data.
Item 5 - O piloto pode preferir continuar na categoria em que conquistou aqueles pontos até o final do ano disputando a liderança na mesma.
Item 6- A Organização emitirá as alterações na relação de categorias na primeira semana do segundo semestre.
Contatos com Home: www.waypointenduros.com.br

Art. 36. UTILIZAÇÃO DO GPS RASTRO TOTEM
Á critério da organização a apuração poderá ser feita através de equipamentos de rastreamento por satélite.
Caso o rastreamento por satélite seja utilizado para a apuração dos resultados da prova, a sistemática de apuração será a seguinte:

Item 1 - Serão usados os equipamentos de rastreamento via satélite (GPS). O(s) equipamento(s) será (ao) fornecido(s) pela organização antes da largada da prova e deverá (ao) ficar junto ao corpo do competidor dentro do suspensório que foi fornecido pela organização, não podendo ficar em pochete, bolso e/ou fixado na moto
Item 2- O GPS poderá ser vistoriado por fiscais da prova devidamente identificados em qualquer momento
da prova, solicitando a parada do competidor no local da vistoria.
Item 3 - O competidor deverá assinar um termo de responsabilidade, no momento da entrega do(s) equipamento(s) onde assume a total responsabilidade sobre o(s) mesmo(s) Caso o competidor não devolva o equipamento, em condições de funcionamento ao final do evento, independentemente do motivo (roubo, perda, danos propositais ou não, etc..) o mesmo deverá reembolsar o valor especificado no termo de responsabilidade para a organização em até no máximo 10 dias corridos após a realização do evento.
Item 4- Os postos de cronometragem serão posicionados no decorrer do roteiro, em posições e quantidades não conhecidas previamente pelos competidores. Eles serão divulgados, através da ficha técnica, logo após a chegada do primeiro competidor de cada categoria.
Item 5 - Os dados de cada competidor serão coletados por um (ou mais) coletor (es) de dados GPS, conforme descrito no item 1, em todo trajeto da prova, desde a largada até a chegada. A apuração será realizada através dos dados coletados, entre eles: hora com precisão de segundo e posição geográfica (latitude e longitude).
Item 6 - O coletor de dados será removido na chegada do competidor, ou em outro local especificado pela organização

Item 7- Tempo para devolução dos equipamentos rastro.
Se  o aparelho não for devolvido no local especificado pela organização em até 25 minutos do tempo ideal do piloto, para todas as categorias , o concorrente será desclassificado, sem direito a reclamação.
Obs: Esse tempo limite é concedido além do horário ideal final de cada competidor.

Será da responsabilidade do competidor a devolução do(s) aparelho(s) mesmo após o prazo, caso contrário será cobrado o valor definido no termo de responsabilidade. (tempo para devolução do GPS rastro 25 e 45 minutos)
Item 8 - Mesmo se desclassificado, será da responsabilidade do competidor a devolução do(s) aparelho(s) mesmo após o prazo, caso contrário será cobrado o valor definido no termo de responsabilidade.
Item 9 - A coleta de dados será feita em segundos e através de interpolação alcançará a precisão de centésimos de segundos. A interpolação será feita entre os dois pontos mais próximos anterior e posterior a linha de cada PC. Para efeito do cálculo de pontos perdidos o tempo será em décimos de segundos.

Art. 37  Pontuação
O concorrente perde 1 (um) ponto por segundo de atraso em relação a sua hora ideal de passagem pelo PC,descontada a tolerância de 5" (cinco segundos). Além deste tempo de atraso e até 20' 05" de atraso, serão imputados 900 (novecentos) pontos fixos. "Além de 20' 05" de atraso, ou não passando no PC, o concorrente perde 1.800 (mil e oitocentos) pontos.
Art. 40  Atribuição de pontos em caso de pane dos equipamentos GPS RASTRO
Item - 1 Se por algum motivo o(s) equipamento(s) de coletas de dados não vier a funcionar, ou registrar menos de 30 % do trajeto navegado da prova, o competidor terá sua pontuação computada posteriormente da seguinte forma: sua pontuação será a média com arredondamento dos pontos por ele obtida nas demais provas do campeonato, de acordo com as classificações alcançadas, sem os descartes previstos. Ex: Na 1ª etapa o competidor ficou em 3º. Lugar conquistando 13 pts na 2ª etapa o equipamento apresentou falha e não registrou o trajeto. 3ª. Etapa, 5º. Lugar = 11 pts, 4ªetapa, não participou = 0 ponto, 5ª etapa, 15º. Lugar = 1 ponto. Soma de pts = (13 + 11 + 0 + 1 ) / 4 = 6,25 Pontos a serem computados na 2ª. Etapa = 6 pts.
Item - 2  Caso o(s) equipamento(s) de coletas de dados vier a falhar, mas registrar 30% ou mais do trajeto navegado da prova, o competidor terá sua pontuação final definida pela média de pontos perdidos em cada PC da prova existente no trajeto computado no equipamento, utilizando-se o critério de (Ni) até o ponto onde existir o registro, fazendo-se o arredondamento somente ao final da multiplicação.
Ex: O competidor teve 40 % do trajeto computado, com 30 PCs registrados de um total de 80 PCs válidos na prova. Aplica-se o critério de (N-i) no trajeto registrado no equipamento, resultando 7% de
30 PCs = 2,1 = 3 PCs descartados. Divide-se a pontuação resultante obtida pelos 27 PCs válidos e tem-se a média de pontos perdidos por PCs. Este valor será multiplicado pelos outros PCs válidos da prova, no caso 80 PCs - 7 % = 74 PCs válidos na prova. Pontos perdidos em 30 PCs = 360 Pts, descarte de 3 PCs = 90 Pts. Pontos perdidos em 27 PCs = 280 Pts - Média de 10,37037 Pts/PC Resultado final em 74 PCs válidos da prova = 74 X 10,37037 = 767,40 Pts =767 Pts.
Critérios de Descarte (N-1) e (N-i) cumulativamente:
" No critério N-1 será descartado o pior PC válido com no máximo 3 segundos (<= 3 seg.) de adianto ou até 10 minutos de atraso (< 10 min.).
" No critério N-i serão descartados os "i" piores PCs válidos de cada concorrente com no máximo 3 segundos (<= 3 seg.) de adianto ou 3 segundos (<= 3 seg.) de atraso.
" O valor "i" refere-se a 7 % dos PCs válidos da prova arredondado para baixo (ex: 75 PCs válidos,
7% = 5,25, portanto i = 5 PCs).


Wagner S. Fanti (PASTEL)         
Fones: (11) 9838 6727 (11) 4483-4562
e-mail:  contato@waypointenduros.com.br    
               pastel350@hotmail.com







  • FALE COM PASTEL

copahost
WAY POINT ENDUROS